CampanhaFundos202206

IBAN PT50003502020003702663054   NIB 003502020003702663054

30 de Junho de 2024

Nota à Imprensa

PCTP/MRPP informa a sua posição sobre o Serviço Militar Obrigatório no momento presente

Lisboa, 29/04/2024

O Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) considera, e sempre considerou, que a defesa do país compete a todos os cidadãos e não a um grupo de mercenários mesmo que este se designe por Forças Armadas Portuguesas pelo que propugna a prestação, por todos os cidadãos, de Serviço Militar durante um dado período de tempo a definir que lhes permita aprender as perícias militares para, em caso de ataque ao nosso país ou o seu bem-estar se torne impossível, se mobilizem rapidamente para, consoante o caso, repelir esse ataque ou instaurar o bem-estar popular.

Sobre o mesmo tema, o PCTP/MRPP reafirma hoje o que o camarada Arnaldo Matos referia já em 2016:

As Forças Armadas, de portuguesas, só têm o nome. As Forças Armadas ditas portuguesas são hoje um grupo de mercenários, lacaios do imperialismo americano, francês e alemão.

Todas estas tropas mercenárias deviam recolher a Penates, para serem imediatamente desmobilizadas.

Ler mais 
António Costa, o Ungido!
 
https://www.portugal.gov.pt/upload/imagens/i058128.jpgComo se vinha anunciando desde a queda do governo (11 de novembro 2023) a que presidia, e que jurara não abandonar para ir para a Europa, (“Já expliquei a todos que não aceitarei uma missão que ponha em causa a estabilidade em Portugal. Alguma vez eu poria em causa a estabilidade que tão dificilmente conquistei? – 26 de junho 2023), António Costa foi, afinal eleito, dia 27 de Junho, embora por maioria qualificada, presidente do Conselho Europeu, cargo que assumirá a partir de Dezembro e no qual se manterá, pelo menos, durante dois anos e meio.
 
Portanto, até para António Costa era difícil dar o dito por não dito, sem perder a face. Por outro lado, todos nos lembramos de o presidente da República ameaçar com a interrupção da legislatura e novas eleições caso Costa aceitasse um cargo europeu! Contudo, António Costa ocupa um cargo europeu! E com o apoio expresso de Marcelo! Malhas que o império tece.

António Costa diz que não acredita em milagres. Os comunistas muito menos!
 
Então, o que aconteceu para aqui chegarmos? 

 

Marcelo, Demite-te!

https://images.rr.sapo.pt/1907155195723ac1919d945_base.jpgMarcelo Rebelo de Sousa está cada vez mais implicado no caso da "cunha" relativa às gémeas luso-brasileiras.
 
Ler mais

Cartas da Prisão

Cartas da Prisão, um Livro de Lehttps://scontent.fopo6-2.fna.fbcdn.net/v/t39.30808-6/449301098_794913506126403_332902223671074720_n.jpg?_nc_cat=106&ccb=1-7&_nc_sid=833d8c&_nc_eui2=AeGvvem0m6Ig7_vs8TWWf-radEDORz_6iGV0QM5HP_qIZVMRzVezGo0J89txWp4kvos&_nc_ohc=R9GjXWYpyLYQ7kNvgETaTe0&_nc_ht=scontent.fopo6-2.fna&oh=00_AYCaPN-0jZ6hilCojjcbRINtcJbrVygwknYcKVgvjcM5Ng&oe=6687913Conel Coelho, um poeta, dirigente associativo, escri-tor, desportista, um militante do nosso Partido que sempre ousou lutar por uma sociedade sem exploração e opres-são, infelizmente já desaparecido. Viveu intensamente "até às 19 horas do dia 7 de Dezembro de 2021..."

Ler mais

Opinião

Revisores e trabalhadores das bilheteiras da CP (suburbanos de Lisboa) cumprem primeiro dia de greve com sucesso!

(do nosso correspondente na CP)

placar-comboios-01O primeiro dia de Greve dos Operadores de Revisão e Venda (ORV) e Operadores de Venda e Controlo (OVC) da CP, nas linhas suburbanas da zona de Lisboa decorreu, como previsto, com uma forte adesão. Segundo dados do Sindicato SFRCI, esta adesão foi próxima dos 95%. A revolta e vontade de lutar foram aqui bem demonstradas com esta forte adesão que apesar das patranhas da porta-voz de serviço da CP, Ana Portela, não podem ser escamoteadas. Ela própria teve de admitir que a adesão se cifrou nos 52%, o que significaria, mesmo que assim fosse, que mais de metade daqueles trabalhadores repudiava os ataques ao A.E., às conquistas alcançadas, ao roubo do salário e do trabalho e que estão dispostos a lutar e a vencer. A fórmula para chegar a este valor, foi achá-la no número de comboios que efectivamente circulou, sendo que muitos deles foram acompanhados não pelo respectivo Revisor, mas por outros trabalhadores não afectos à circulação, e como tal não habilitados a acompanhamento de comboios, tais como Manobradores e outros, o que pôs em causa a segurança dos passageiros, facto que a CP não desconhece, mas que prefere ignorar a troco de tentar ludibriar e desmobilizar a luta que estes trabalhadores travam. Prova disto é que uma passageira desmaiou num comboio e não foi devidamente socorrida. Também os outros trabalhadores devem tomar posição de recusa a acompanhar comboios que manifestamente seja para furar a greve dos Revisores.

Nos dois dias que ainda restam de Greve, os ORV e OVC, devem continuar a demonstrar a sua determinação e mobilização para levar de vencida este ataque torpe à sua dignidade profissional. O passo seguinte, e que este Sindicato também já referiu, deve ser o da recusa ao trabalho em dia de descanso semanal e feriados, aliando-se ao Sindicato dos Maquinistas que já apresentou um pré-aviso de greve, para todo o mês de Junho, para continuação da greve que vêm travando desde Dezembro, mas agora com a agravante da recusa, precisamente, ao trabalho em dia de descanso e aos feriados. Todos os outros trabalhadores da CP devem exigir aos seus sindicatos que tomem parte nesta luta, pois o que está em jogo não diz só respeito a estes trabalhadores, mas a todos do grupo CP e mesmo aos de outras empresas do sector do Estado.

Este caudal deve engrossar e tornar-se numa luta mais geral e apontar para o derrube do governo PSD/CDS, a instauração de um Governo Democrático Patriótico, que deverá tomar como primeira medida a recusa do pagamento de uma dívida injusta, ilegal e ilegítima. Só assim a luta será consequente.


Revisores e trabalhadores das bilheteiras da CP (suburbanos de Lisboa) renovam com sucesso o seu segundo dia de greve!

Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar

Está em... Home Correspondências Revisores e trabalhadores das bilheteiras da CP (suburbanos de Lisboa) cumprem primeiro dia de greve com sucesso!