painelinscreve 01

 

Política geral

A OUTRA REVOLUÇÃO CULTURAL

O governo fascista de António Costa trata os artistas e os trabalhadores da cultura abaixo de cão. Claro que há os artistas da corte, os pimbas e os versejadores da corte. Não nos referimos a esses vendidos. Além de gritantes situações de precariado e de desemprego muitos trabalhadores da cultura recebem do governo migalhas e esmolas de pouco mais de 400 euros mensais. Os artistas também raramente podem actuar. Há poucos eventos. Uma miséria! Não dá para nada. A situação agravou-se com a pandemia, mas a pandemia não explica tudo. É o capitalismo, o controle e a vigilância a funcionar. O governo não quer apoiar os artistas e os trabalhadores da cultura, em especial os artistas subversivos, porque sabe que estes querem consciencializar e provocar as pessoas, elevar o seu nível cultural, ajudá-los a tornarem-se cidadãos de plenos direitos e de liberdade e isso pode ser muito perigoso para os poderes.

Ler mais


Uma Mudança de Métodos

MedinCMLisboaa pediu desculpa.

Quem pede desculpa é porque acha que pode ser inculpado; e isso porque tudo indica que é culpado.

Ler mais


 Os detentores do capital representados nos tumultos da luta de classes

"Os ingleses" estiveram a semana passada em Portugal, enchendo maioritariamente a cidade do Porto, devido à final da liga dos campeões.

Ler mais


 Caracterização de um presidente

Ainda a propósito do que toda a gente sabia sobre Odemira.

EstufasOdemira"Precisamos dos imigrantes para um tipo de trabalho que os portugueses não querem", disse o vendilhão de afectos de Judas, hipocondríaco-mor, o bobo dos holofotes, o papagaio-nu deste território. Já ninguém o leva a sério, tal como este país fica cada vez mais à deriva.

Ler mais


 A casa da música dá música aos trabalhadores desafinados

CasaMusicaAlém dos mecenas, apoios, patrocínios, doações, lucros e salários elevados na administração, gestores, promotores, criativos e músicos, a casa da música ainda dispõe de representação em conselhos consultivos de entidades públicas como a área metropolitana do Porto, a câmara municipal do Porto e o ministério da cultura.

Ler mais


 O que é que se comemora no dia 25 de Abril?

Ler


Operação Marquês:
a histeria histriónica invade o espaço público

Ler


 A TRANSIÇÃO DIGITAL E AS SUAS CADEIAS: PRÓDIGOS DO CAPITAL E DA SUA CLASSE

Ler


 Dia 8 de Março – Dia Internacional da Mulher

A luta das mulheres pela sua emancipação da escravidão assalariada e da opressão social

Ler


Internacional

OS JOVENS DESEJAM ACABAR COM O CAPITALISMO, E MUITO MAIS...   

Bem sabemos que o socialismo ainda se enquadra no modo de produção capitalista, numa espécie de último estertor ideológico deste modo de produção caduco e podre, quando o modo de produção comunista começa a estar na ordem do dia. Não deixa de ser significativo, contudo, que cada vez mais frequentemente o desejo manifesto de socialismo  pelos jovens (pelo que dizem na verdade de comunismo) compreenda também a crítica aos erros passados do movimento comunista: «setenta e cinco por cento dos entrevistados concordaram que “o socialismo é uma boa ideia, mas falhou no passado porque foi mal executado”» .

Cerca de 70% dos jovens britânicos, dos 16 aos 34 anos, desejam uma "sociedade socialista" e são hostis ao capitalismo, segundo um estudo do Institute of Economic Affairs. Para essa imensa maioria de revoltados, o capitalismo alimenta o racismo e traz consigo a exploração, o aumento das desigualdades e a injustiça. 75% consideram mesmo que as alterações climáticas são um problema criado pelo capitalismo.

Ler mais


As Represálias que se Seguem à Derrota Militar de Israel

As potências imperialistas dividem e partilham o Mundo de acordo com os seus interesses expansionistas, de saque e de exploração dos povos.
Assim aconteceu no final de cada uma das guerras mundiais e todos os conflitos, ocupações e guerras que o imperialismo fomenta não têm outra coisa em vista, a não ser a imposição e manutenção de um modo de produção que permita a exploração dos trabalhadores, os lucros exorbitantes e o saque das matérias-primas, o domínio e aumento de mercados assim como a ocupação e expansão dos seus territórios.
A guerra que não querem fazer nos seus próprios países, deslocam-na para outros, exercendo a violência de forma brutal, executando e provocando massacres e genocídios.

FaixaDeGaza2021ONUE é esta a questão central do chamado conflito israelo-palestiniano, que muitos querem reduzir a uma questão religiosa, mas que a história desmente, com a realidade a comprová-lo, diariamente, em cada um dos ataques, bombardeamentos, expulsões e ocupações sucessivas e contínuas das forças militares do governo sionista e nazi de Israel, este sim com uma ideologia nacionalista e colonialista.

Ler mais


 

A crueldade é um lamentável efeito secundário

"We came, we saw, he died", disse a antiga Secretária de Estado de Barack Obama, Hilary Clinton, em 2011, quando Muhammar Gaddafi foi assassinado por revolucionários da chamada Primavera Árabe, em plena luz do dia. Enquanto a Líbia degenerava num Estado-fantoche dos poderes imperialistas ocidentais e se tornava num centro mundial para o tráfico de seres humanos, os representantes do partido que reclama defender a vida e a dignidade do homem comum aplaudiam a morte de um chefe de Estado estrangeiro com uma barra de ferro. Este triunfalismo e militarismo norte-americano continua em 2020, com a reeleição de Joe Biden para presidente dos Estados Unidos da América.

Ler mais


Mundial de 2022 - Catar

 O capitalismo previu e premeditou a morte de mais de 6500 pessoas!
O “fantástico” mundo deplorável e de alienação do futebol, serve para entreter o cidadão e matar gratuitamente quem morreu ao sol, trabalhando!

 Primeira parte – Introdução

Capitalismo vs Comunismo – teoria

Ler mais


A alteração geopolítica no Golfo

Irão: um assassinato prenunciador da guerra inter-imperialista!

Ler


Local

Porto

Como Se Faz Vigarice Chamando-lhe Investimento

SelminhoA vigarice, a especulação imobiliária e a corrupção infestam o nosso país. A autarquia do Porto não foge à regra. O presidente da Câmara, o reizinho Rui Moreira, é arguido no "caso Selminho", que vai a julgamento a Novembro. Moreira assinou uma procuração para a Câmara negociar com a empresa de que também é sócio, num negócio em que a família do autarca ganhava sempre. Um belo exemplo de rectidão e virtude. Este senhor só merece cair, tal como os Berardos, os Vieiras, os Salgados, os banqueiros, os políticos da máfia e do sistema e todos os outros bandidos, essa corja sem nome que rouba o povo.

Ler mais


O Partido presta homenagem à camarada Celina através das palavras do camarada Luís Gonçalves:

Celina Duarte
Para ti querida Celina.

Esposa da liberdade.
Companheira de um revolucionário.
Serás lembrada como uma senhora pela liberdade neste país.
Lembro-me de ti mais jovem com aquele olhar directo e muito presente que não aceitava a mentira e que sabia sempre quando estavas a mentir.
Em alturas de activa luta pela liberdade neste país, enquanto as outras esposas aproveitavam o leito para convencer seus maridos a desistir e a ficar em casa longe dos perigos do regime, Tu Celina estarias a dar força ao teu companheiro para continuar a lutar e para não desistir e ainda recrutaste mais mulheres para a frente e foste mãe sem ausência.
Não precisarás de mais palavras nem de mais lembranças pois até o Zeca te conhecia e nos seus concertos devido a ti o nome de Alhos Vedros surgiria.
01Mai2021

Saúde

A NUA REALIDADE DOS ENFERMEIROS – UMA EXPLORAÇÃO ATROZ E INDIGNA

O tratamento que tem sido dado aos enfermeiros nos últimos anos, com especial destaque para os dois últimos, é representativo da natureza dos vários governos e, neste caso, de um governo que se rege e é vassalo do sistema capitalista

Ler mais


 Luto contra três gigantes, querido Sancho; estes são: o medo, que tem forte raigambre e que toma conta dos seres e os sujeita para que não ultrapassem o muro do socialmente permitido ou admitido; o outro é a injustiça, que subjaz no mundo disfarçada de justiça geral, mas ...

O confinamento capitalista autodenuncia-se e anuncia o seu fim

Ler mais


 A escandalosa situação dos contratados no Serviço Nacional de Saúde

Ler


 2020 - Maior índice de mortalidade desde 1920!

Ler


Balanço trágico entre “menos mortes” Covid-19 e mais mortes não-Covid!

Ler


Açores

SATA

UM BRAÇO DE FERRO ENTRE O CAPITAL E O TRABALHO!

O que está a acontecer com a SATA, aliás, como ocorre também com a TAP, é o resultado das opções económicas da burguesia acolitada por uma pequena burguesia cheia de ambição pessoal e duplicidade política, sem outro horizonte económico para além da exacção burguesa, lançadas pós 25 Abril de 1974 para a liderança do Estado em Portugal, tendo para o efeito particular relevância a integração que fizeram do país como membro da CEE, hoje UE, à socapa do povo português, e a não menos indiscutida adesão à chamada moeda única europeia.

Ler mais


Arnaldo Matos: Um intrépido dirigente e combatente marxista!

AMEvocacao2Ano1No próximo dia 22 do corrente mês, assinalamos dois anos do desaparecimento físico do maior marxista português, o eminente camarada Arnaldo Matos! A morte inesperada do camarada Arnaldo Matos constituiu uma terrível perda tanto para a classe operária, como para o seu Partido de vanguarda, o PCTP/MRPP.

Falar no camarada Arnaldo Matos não é coisa fácil, muito pelo contrário, é algo complexo e de uma abrangência enorme, quer pelos mais variados domínios em que o camarada Arnaldo Matos participou e interveio, quer pela sua forte e justa personalidade, sempre brilhante e claramente meritória! Desde tenra idade, o nosso saudoso camarada Arnaldo Matos envolveu-se nas mais diversificadas lutas pela libertação do ser humano do jugo, da servidão, e do crescente pauperismo, que a burguesia e o seu modo de produção capitalista tanto fomentam e produzem. Basta recordar o papel fundamental de Arnaldo Matos, na fundação da Esquerda Democrática Estudantil (EDE), organização fundada na sequência das primeiras manifestações contra a Guerra do Vietname, quando foi nomeado para delegado do movimento de Maio de 1968, em Portugal; quando foi eleito em 1961, como secretário nacional dos estudantes portugueses.

Ler mais


 

Correspondências

Do nosso correspondente em Coimbra recebemos este interessante artigo que agora publicamos:

Reflexão sobre o proletariado: estudo de caso

Ao longo das últimas décadas, nos países ditos desenvolvidos, temos assistido à exportação das contradições entre o trabalho e o capital. Com a mecanização da produção agrícola, a automatização da produção industrial, e a deslocalização da produção primária para fora das metrópoles, deu-se inevitavelmente também um offshoring significativo do proletariado, para os países periféricos.

Este fenómeno confirma-se consultando dados estatísticos que revelam um enorme movimento demográfico em Portugal, dos sectores primário e secundário para o terciário.1 Naturalmente, não se pode daqui concluir que não haja proletários explorados no quadro económico nacional, inclusive na agricultura e na indústria. No entanto, interessa notar que existem fracções do sector terciário que, não estando directamente ligadas ao processo produtivo, são fundamentais para o funcionamento das cadeias de produção e realização das mercadorias.

Este fenómeno representa uma considerável alteração da estrutura produtiva em Portugal, levanta a questão de quem constitui, na actualidade, o proletariado nacional, enquanto classe em si. Serão apenas os operários fabris e outros trabalhadores do sector secundário, ou devemos também incluir alguns dos trabalhadores que exercem funções no sector terciário? Se sim, quais?

Ler mais


Vale de Cambra - Construção Civil

Mais 4 vítimas operárias da guerra de classes:
Um morto, dois feridos graves e um ligeiro em Vale de Cambra

Ler mais


Juventude

Sobre a Praxe

É quase impossível, na actualidade, pensar o Ensino Superior e o contexto académico sem fazer uma análise à praxe e, na esquerda reformista (reaccionária no plano material) existem duas posições distintas a conhecer:

Ler mais


O Departamento da Juventude do PCTP/MRPP reuniu no Porto

Dando cumprimento à resolução para a reorganização da juventude revolucionária do I Congresso Extraordinário do Partido, foi constituído e, no passado dia de 12 de Janeiro, reuniu na cidade do Porto o Departamento da Juventude do PCTP/MRPP, tendo elegido o camarada José Afonso Lourdes seu secretário.

Ler mais


Educação

A propósito da proibição das aulas on-line

A igualdade e a equidade constitucionais social-fascistas
(socialistas pouco, fascistas muito)

Há pouco mais de uma semana, com a pompa e circunstância e falsidade que lhe é tão característica, o primeiro ministro Kôsta, decretou, a respeito de uma das medidas do novo estado de confinamento, o fecho das escolas e a proibição das aulas on-line.

Ler mais


 Um país sem cultura não é um país!

No passado dia 2 de Dezembro, em frente ao teatro Rivoli, no Porto, decorreu uma iniciativa que reuniu cerca de 100 universitários da Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE), Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP), Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), Escola Superior de Media Artes e Design (ESMAD) e Escola Superior de Artes e Design (ESAD)

Ler mais


Ensaio

A vida de um cantoneiro em Portugal!

Este artigo demorou a ser publicado, porque o capitalismo resolveu novamente fazer das suas! O nosso camarada/correspondente do Norte, e entrevistado neste artigo, esteve num total estado de estagnação, ...

Ler mais


As Eleições Autárquicas de 2021

Não constitui objectivo político do nosso Partido a participação nas próximas eleições autárquicas

No próximo dia 2 de Agosto termina o prazo para apresentação de candidaturas aos órgãos autárquicos, eleições que ocorrerão no dia 26 de Setembro do corrente ano, visando 308 municípios e 3091 freguesias.

Mais uma vez, voltamos a assistir à correria desenfreada ao poder ou, se quisermos ser mais claros, ao “tacho” com os partidos burgueses a procederem à distribuição das gamelas pelos seus apaniguados, (lembremos a dificuldade que foi e ainda é encontrarem o candidato “certo”, recorrendo a trocas, substituições e chegando até a recorrer a conselhos disciplinares e judiciais…).
Como todos bem sabemos, as “vitórias” eleitorais estão dependentes da gordura dos orçamentos e financiamentos de campanhas. É tudo uma questão de investimento, de forma a enganar os incautos e engordar os oportunistas de toda a espécie. Não é por acaso que 50 presidentes de câmaras que, este ano, já não se podiam recandidatar recorreram a truques já previamente definidos para o efeito, com a ganância de voltar a ocupar os lugares a que estão apegados, nem que para isso tenham de recorrer a uma mixórdia de alianças inter-partidárias! Voltaremos a este tema mais tarde.

Falar em corrupção e compadrio no chamado poder local, num país, cujo governo é doutorado na matéria, à qual junta, sistematicamente, a arrogância e desresponsabilização política, imposições e medidas fascistas, com que explora, agride, aliena e ataca os trabalhadores portugueses, não pode, como alguns pretendem, correr o risco de se tornar uma banalidade, mas tudo isso tem de ser denunciado com firmeza e rigor, apoiando a luta e a revolta dos que amargamente acreditaram que as questões e problemas mais próximos podiam ser resolvidos, através de eleições, incluindo as autárquicas.

O nosso Partido, desde sempre denunciou o que são as eleições na democracia burguesa e sempre se posicionou claramente perante elas:
(…) os comunistas portugueses participam nas eleições burguesas sempre que essa participação lhes permita divulgar, o mais amplamente possível, o marxismo, o comunismo e o programa político revolucionário do partido do proletariado, bem como o reforço da organização do Partido e das massas populares e (…) não alimentam nenhuma espécie de ilusão sobre a via reaccionária do revisionismo e do social-fascismo, que defendem a tomada do poder político pela via eleitoralista. Ver a este respeito o artigo O Partido e as Próximas Eleições Autárquicas, no qual o camarada Espártaco expõe claramente a posição e a linha política dos comunistas perante as eleições (2017-2020), e que o Comité Central continua a defender.

ler mais

Partido

De plagiador compulsivo a ladrão intelectual – eis o perfil de Luís Júdice

Como é do conhecimento recente dos nossos leitores, a redacção do Luta Popular on Line denunciou publicamente e veementemente a conduta e os abusos do seu ex-redactor-chefe, Luís Júdice, pelo facto de se apropriar de textos e partes de textos de outros autores, assinando os mesmos como da sua lavra/autoria, nomeadamente, os que estão publicados no Webmagazin "Les 7 du Québec”.

No contexto dessa honrosa tomada de posição pela redacção do nosso jornal, a agonia de Luís Júdice foi de extrema notoriedade, ao tentar desesperadamente inverter os factos, procurando encontrar justificações totalmente surreais, absurdas e ausentes de qualquer base de sustentação minimamente credível!

Ler mais


 

Pela Boca Morre o Peixe

O povo tem uma expressão “Pela boca morre o peixe” que se adequa perfeitamente à tentativa de Júdice para justificar o injustificável, ou seja, o seu  “método e arte” de produção de textos.

Na verdade, não conseguindo negar a cópia/plágios de textos (não há como fazê-lo – os textos copiados existem para o confrontar) vem agora, pelas suas próprias palavras, e numa tentativa desesperada, assumir que copiou aquele e outros textos como, por exemplo,  parte do texto: Irão: um assassinato prenunciador da guerra imperialista!, argumentando de forma ardilosa e conscientemente omissa que não assinou o texto sozinho! E aqui está mais um traço da sua  desonestidade intelectual! É ele próprio que destrói a imagem de grande intelectual e ideólogo que laboriosamente quis aparentar.

Ler mais


 

A desonestidade intelectual é um traço que define o carácter dos oportunistas

Muitos leitores nos têm questionado sobre a razão pela qual o Luta Popular deixou de publicar artigos do ex-redactor Luís Júdice.

Ler mais


Recebemos de um nosso leitor e antigo militante da RPAC quando esta organização de soldados actuou nos quartéis contra a guerra colonial-fascista, a oferta deste poema, escrito em Fevereiro de 2019:

Homenagem a Arnaldo Matos

A morte não é o fim
Não se matam pensamentos vivos
A dor fisica passa a cada vez
Numa vida longa de combate
Carregar a dor de tantos é cruel
É o caminho do marxismo
De quem não recusa dar mais
Ver os proletários no seu lugar
Que pensar é revolucionar
Ver mais longe é avançar
Que lutar é ousar
Não seria eu, não seria digno
A ver a dor e sangue ao meu lado!

Alberto de Sousa
Fevereiro/2019

Notícias da evocação do camarada Arnaldo Matos

Nos passados dias 21 e 22 deste mês, no Porto, na Gafanha da Nazaré, em Lisboa e um pouco por todo o país, os militantes e simpatizantes do Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) evocaram  camarada Arnaldo Matos pelo estudo e pela discussão de documentos que o camarada nos deixou, especialmente o importantíssimo discurso e sequente debate no 1.º de Maio Vermelho de 2018.

20210222Porto6

Presencialmente ou por vídeo-conferência, em reuniões alargadas ou isoladamente, os camaradas pegaram em aspectos da obra do camarada, particularmente aqueles que consideraram mais pertinentes para a acção de cada organismo, que estudaram e, quando colectivamente discutiram, com o ânimo próprio de quem luta pela instauração do modo de produção comunista.

A  principal alocução proferida no Porto, nesse propósito a 21 de Fevereiro e em nome do Comité Distrital do Porto, transcrevemo-la aqui, na íntegra:

Ler mais


 

O Marxismo é a nossa Estratégia


Evocar o Camarada Arnaldo Matos

Passam, na próxima segunda-feira, dia 22 de Fevereiro, dois anos após o desaparecimento físico do camarada Arnaldo Matos.

Na impossibilidade de uma homenagem presencial, o Comité Central, conclama todos os militantes e simpatizantes para, de uma forma organizada (como já está a acontecer) ou, se tal não for possível, individualmente, estudarem e discutirem os documentos que o camarada nos deixou, com destaque para a importantíssima intervenção no 1.º de Maio de 2018, que se constitui como um verdadeiro programa para o Partido e para o movimento comunista, apontando o Marxismo como a nossa estratégia, ao mesmo tempo que releva a necessidade de se fazer uma reflexão sobre os erros cometidos durante os processos revolucionários de 1917 e 1949, como condição essencial para rejeitar de forma fundamentada e determinada a ideia da inviabilidade da sociedade comunista, provando simultaneamente que sociedade da democracia capitalista liberal não é “o estádio final do processo histórico”, como os ideólogos do capitalismo pretendem vender.

Contudo, a verdadeira homenagem, a autêntica celebração só adquire significado se se transformar em movimento, em acção, em prática.

A verdadeira evocação ao camarada é feita diariamente no trabalho e na luta pelo reforço organizativo do Partido, pelo seu alargamento, pelo contacto com as massas, pela divulgação dos estudos, análises e reflexões, objectivo que o Comité Central tomou em mãos, dando continuidade a essa divulgação no Luta Popular online e com o lançamento da colecção dos Cadernos Arnaldo Matos.

Ler mais

FOTOCamArnaldoMatosEXPRESSO3CPoema


 

Movimento Operário e Sindical

POR UMA DIRECÇÃO COMUNISTA NA LUTA DOS TRABALHADORES DA GROUNDFORCE!

GroundForceGreveOs empresários públicos e privados exigem mais-valia no negócio da compra da força de trabalho dos operadores aeroportuários impondo ressarcirem-se do investimento com o dinheiro publicamente sancionado pelo Estado burguês.

Pelo seu lado os trabalhadores aeroportuários lutam pela segurança de vida e pelo pão para a boca em troca da sua prestação profissional.

A tão falada quanto equivocada mais-valia nada mais é do que horas de trabalho não pagas pelo salário recebido pelo trabalhador em troca da sua força de trabalho alienada ao empresário.

Ler mais


Volkswagen Autoeuropa - Palmela

UM MUNDO NOVO NÓS OPOMOS AO MUNDO PARASITÁRIO!

AutoeuropaO tempo do escravo é o tempo do senhor: deve totalmente vida e morte o escravo ao senhor.

A revolução burguesa abole a propriedade privada dos produtos do trabalho pessoal e transforma a força de trabalho em mercadoria que o detentor põe à vendapara a compra do que precisa para sobreviver.

Face a face são aparentemente ambos livres, vendedor e comprador da força de trabalho – não fora este ter o monopólio dos meios de produção e aquele destituído de outros bens transaccionáveis para além da sua força de trabalho!

Ler mais


IBERODYE - Vila do Conde

52 TRABALHADORES ATIRADOS PARA O DESEMPREGO"ESPERO QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO INVESTIGUE"

IberodyeVistaA fábrica situada em Macieira da Maia (Vila do Conde) já tinha despedido metade dos trabalhadores em Janeiro. Os outros, que têm dois meses de salários em atraso, tiveram o mesmo destino em Abril.

Ler mais


 Eurest

Portugal – uma terra de oportunidades para os oportunistas

A Compass é a dona inglesa da Eurest, empresa que explora o trabalho humano pela via do fornecimento de serviços de cantina, refeitório, bar, cafetaria em áreas de serviço, empresas privadas e serviços do Estado.

Ler mais


LASA – Guimarães

Trabalhar na terça de Carnaval?!! Porquê?

Ler


Como se Faz a Transição Energética em Tempos de Pandemia e Confinamento

Ler


A Luta dos Mineiros da Panasqueira

Ler


 TAP: uma “reestruturação” sem surpresas!

Ler


Luta – Unidade – Vitória

Contexto económico, político e social

 Ler

Viva o 1.º de Maio Vermelho!

O esvaziamento do significado político do  1.º de Maio, enquanto dia de luta e de resistência, é a estratégia do grande capital para travar o movimento e acção dos trabalhadores, para os alienar,  para subtilmente desvirtuar  o que sabe ser uma ode à pulsão dos trabalhadores, para o transformar numa data não de protestos e de luta de classes, mas num dia onde parte das linhas de produção paralisam com consentimento de antíteses: do proletário e dos detentores dos meios de produção, ou seja, o dia para a "besta de carga" (na concepção burguesa) recompor as suas baterias, manifestar a sua revolta  para que regresse no dia seguinte, mais manso, quiçá  grato ao seu patrão pela “benesse” ainda concedida, mas que contém em si a luta de milhões e milhões de trabalhadores em todo o mundo.

Perante esta desfiguração, o trabalhador alienado volta, no dia seguinte, pronto para mais uma dose incontestável e esmagadora de estranhamento, para sofrer mais sobretrabalho e mais mais-valia, para que possa, então, diante do ciclo, desejar mais dias de folga e finais de semana (“concedidos” pelo patrão), onde regride a (contra) gosto à fera, no seu lar. É esse o papel dos desfiles da Intersindical e das conferências da UGT, sem pingo de nervo nem alvo credível, com a palavra “luta” na boca, mas o coração e o cérebro vazios de futuro.

Mas, o desenvolvimento do capitalismo e a realidade daí decorrente encarregar-se-á de obrigar os trabalhadores a lutar pela sua sobrevivência.

Ler mais


Editorial

Resolução do Comité Central
sobre uma Apropriação Pessoal Capitalista de Património Colectivo

Luís Júdice não tem moral, nem tem ética.

Não nos surpreende a sua actuação, após ter sido implacavelmente desmascarado no seu carácter de plagiador/copista, mostrando, agora, em completo desespero, claramente a sua natureza de fraude intelectual. De certa forma, já o tínhamos antecipado, em textos anteriores.

Luís Júdice ultrapassa tudo o que se poderia esperar ao tentar incluir na sua confraria de copistas/plagiadores o Camarada Arnaldo Matos.

Todos ficarão admirados com esta afirmação. Alguns nem acreditarão. Mas é a mais pura e crua verdade. Luís Júdice apresenta como conclusões do Camarada, que ele Júdice organizou por pontos, o texto que se encontra nas páginas 128-130 da colectânea “Questão Nacional e Revolução Proletária sob o Imperialismo Moderno

E esta actuação merece o mais veemente repúdio por este verme da caneta!

Luís Júdice não é um comunista! Um comunista não abusa da confiança que lhe foi dada, nem se demite do seu dever de lutar pela edificação do Partido. Um comunista não trai. Um comunista trabalha pelos interesses do povo português e dos povos do mundo e não pelo seu engrandecimento pessoal e pela sua carreira e por ter a sua corte. Um comunista não foge cobardemente, quando em Dezembro de 2020, foi confrontado com o plágio que praticou, não aceitando a crítica que lhe foi feita ao ser descoberto que textos assinados como seus continham transcrições integralmente ocultadas aos demais camaradas da redacção e subsequentemente aos leitores do Órgão Central do PCTP/MRPP.

Ler mais

A NOSSA ESTRATÉGIA É O MARXISMO
Nota Introdutória
A brochura que agora publicamos, dois anos após o desaparecimento físico do camarada Arnaldo Matos, corresponde à sua intervenção proferida durante a comemoração do 1.º de Maio Vermelho de 2018 e é a primeira de um conjunto de publicações, que constituem os Cadernos Arnaldo Matos, com os quais pretendemos divulgar e colocar à disposição de todos os importantes estudos e contributos do camarada na divulgação e actualidade do marxismo, que passa, desde logo, pela urgência do estudo, da reflexão e compreensão da natureza de classe das revoluções russa de Outubro de 1917 e chinesa de 1949, já claramente, por ele, exposta nas Teses da Urgeiriça, em 2016. 

CapaCadernoN1

Divulgação das intervenções do Camarada Arnaldo Matos

É cada vez mais premente  a leitura, estudo e discussão das intervenções e dos textos legados pelo camarada Arnaldo Matos. Como o camarada refere, é preciso voltar a estudar Marx e  pôr tudo em causa; é preciso encontrar nos erros cometidos as  explicações dos falhanços das revoluções proletárias.

Ler mais

Capa2ParteAMatos1Maio2018


O fascismo do PS de Costa não é de hoje. O camarada Arnaldo Matos já o havia denunciado mal os primeiros traços do mesmo se manifestaram da pior maneira, no governo anterior, como a sequência de tuítes, que agora republicamos no Luta Popular, demonstra.


O PS no Poder é a Reacção no Poder!

É preciso dizê-lo sem medo, com a coragem necessária e com todas as letras: o Primeiro-Ministro António Costa e o governo do PS a que preside são um coio de reaccionários fascistas, da mesma natureza de Salazar e de Caetano.

Tal como Salazar e Caetano nos seus tempos, Costa e o seu governo, enviaram na última quinta-feira, e lá a mantiveram na sexta-feira e hoje sábado, um corpo da Polícia de Choque, para pôr termo a uma greve dos estivadores precários do Porto de Setúbal.

Ler mais

O Luta Popular online e a Refundação do Partido Comunista Proletário Marxista

O Luta Popular online é o Órgão Central do PCTP/MRPP, o que significa que as posições tomadas pelo Partido são as publicadas no Jornal. Os militantes, simpatizantes e amigos do Partido devem tomar conhecimento das posições do Partido através do seu Órgão Central e não por qualquer outro canal de comunicação.

Nesse sentido, e para que não persistam dúvidas, e apesar de já ter sido objecto de estudo, republicamos um artigo do camarada Arnaldo Matos, datado de 04-05-2016 , no qual está claramente explicado qual é a função do Luta Popular.

       15OUT19                                                                             CG

Uma vez mais: O que é o Luta Popular Online? 

Agora que os comunistas portugueses estão a obter importantes sucessos na sua luta contra os liquidacionistas, com vista à refundação de um partido marxista revolucionário proletário, aumentou a colaboração dos militantes e simpatizantes do Partido para o Luta Popular Online.

Isso obriga-me a vir aqui uma vez mais explicar aos nossos leitores o que é o Luta Popular Online e qual é o tipo de colaboração que deles esperamos e desde já lhes agradecemos.

O Luta Popular Online é o jornal político de âmbito nacional do Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP). Por enquanto, sai em suporte digital, mas a intenção do Comité Central do Partido é a de editá-lo em suporte de papel, assim que se acharem reunidas as condições políticas, económicas, técnicas e organizativas para tanto.

Ler mais...



Está em... Home