CampanhaFundos202206

IBAN PT50003502020003702663054   NIB 003502020003702663054

26 de Maio de 2024

Nota à Imprensa

PCTP/MRPP informa a sua posição sobre o Serviço Militar Obrigatório no momento presente

Lisboa, 29/04/2024

O Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) considera, e sempre considerou, que a defesa do país compete a todos os cidadãos e não a um grupo de mercenários mesmo que este se designe por Forças Armadas Portuguesas pelo que propugna a prestação, por todos os cidadãos, de Serviço Militar durante um dado período de tempo a definir que lhes permita aprender as perícias militares para, em caso de ataque ao nosso país ou o seu bem-estar se torne impossível, se mobilizem rapidamente para, consoante o caso, repelir esse ataque ou instaurar o bem-estar popular.

Sobre o mesmo tema, o PCTP/MRPP reafirma hoje o que o camarada Arnaldo Matos referia já em 2016:

As Forças Armadas, de portuguesas, só têm o nome. As Forças Armadas ditas portuguesas são hoje um grupo de mercenários, lacaios do imperialismo americano, francês e alemão.

Todas estas tropas mercenárias deviam recolher a Penates, para serem imediatamente desmobilizadas.

Os portugueses não podem nem têm de pagar tropas para defender os interesses do imperialismo, precisamente aquele mesmo imperialismo que também explora o nosso povo em Portugal, nas fábricas que já não são nossas, mas francesas, inglesas, suecas e alemãs, nos bancos que são espanhóis, nos mares que já só falam castelhano.

Ler mais 

Estado em Degradação Política Reprime Violentamente Manifestações Pacíficas de Apoio à Palestina

À volta de 100 estudantes ocuparam durante cerca de uma semana as instalações do departamento de Ciências e Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, em favor da causa palestiniana. Eles exigem o fim das relações da UP com o Estado de Israel, face ao genocídio de Gaza. Por isso, entoaram palavras de ordem como "Solidariedade Proletária por uma Palestina Livre", "Israel não é uma democracia, Israel é um país terrorista" e "A Revolução começa aqui". Cânticos revolucionários, portanto.

Ler mais


O fascista ventura Afinal É Tão ou Mais Corrupto Que os Outros

André ventura, o nazizinho, campeão da honestidade e da luta contra a corrupção, ao fim de contas, é, comprovadamente, corrupto.

Em 2014, o bom do ventura assinou um parecer, enquanto inspector da Autoridade Tributária, que contribuiu para isentar uma empresa de Lalanda e Castro, ex-patrão de José Sócrates, do pagamento de 1,8 milhões de euros de IVA. Este caso foi investigado no âmbito do processo dos "Vistos Gold", por suspeitas de favorecimento de Lalanda e Castro, que também está referenciado na Operação Marquês e é acusado de corrupção no processo Máfia do Sangue. O andré ventura que serviu de peão na manobra de evasão fiscal de Lalanda e Castro é o mesmo histérico ventura que demoniza todos os beneficiários do RSI, incluindo crianças.

Ler mais

Manifestação Contra o Encerramento Nocturno da Urgência Pediátrica do CH Tondela - Viseu/ULS Viseu Dão - 1 de Junho

Para os partidos da burguesia, nada como campanhas eleitorais, oficiais ou não, para em palavras tudo resolver, mas chegados ao poder, o caso fia mais fino…

Num país que chora a baixa natalidade, a “solução” dos governos burgueses (o anterior e o presente) para o problema é encerrar maternidades e urgências pediátricas, primeiro aos fins-de-semana à noite, depois toda a semana à noite e depois, dia sim dia não, etc..

A propósito de mais um caso, o encerramento nocturno do serviço de Urgência Pediátrica do Centro Hospitalar Tondela - Viseu / Unidade Local de Saúde Viseu Dão Lafões, recebemos de uma cidadã mobilizada para a luta a Carta Aberta que abaixo publicamos na íntegra

Carta Aberta

O serviço de Urgência Pediátrica do Centro Hospitalar Tondela - Viseu / Unidade Local de Saúde Viseu Dão Lafões começou a encerrar, de sexta a segunda-feira, durante o período noturno, em março.

Ler mais

PAÍS

Rasga-se o Véu Diáfano da Democracia Burguesa

Câmara de Loures Recusou Espaço ao PCTP/MRPP nas Festas do Concelho de Loures 2023

Em Janeiro de 2022, a Câmara de Loures mudou de executivo, mas, claramente, não mudou de política, dando antes continuidade à censura e à exclusão imposta pelo anterior executivo do P“C”P.

Passemos aos factos.

Nas festas do concelho de Loures, já é usual o executivo, aparentando incluir neste evento uma vertente política, reservar uma zona dedicada à política, um espaço onde, ao que tudo indica, só alguns partidos podem divulgar o seu programa e a sua atividade e estabelecer contacto com a população. Pensar-se-ia que um executivo dito “socialista”, que se diz defensor do pluralismo e da chamada democracia, abriria esse espaço ao diálogo das diferentes forças políticas que intervieram e intervêm na vida política do Concelho, como é o caso do nosso Partido, cuja participação acontece, até mesmo, antes do 25 de Abril.

Foi nesse pressuposto que o PCTP/MRPP apresentou um requerimento para que pudesse estar presente nas festas do concelho de Loures 2023, mas pasme-se: o pedido foi recusado pelo actual executivo da Câmara Municipal de Loures do PS, numa atitude de arrogância, prepotência e discriminação.

Esta é uma atitude anti-democrática, por parte desta maioria na Câmara Municipal de Loures de PS/PSD coligados, ao não respeitar os votos que o PCTP/MRPP teve nas últimas eleições autárquicas de Setembro de 2021, e ao não respeitar a pluralidade e as diferentes opções. Actualmente, o PS e o PSD constituem uma maioria absoluta na Câmara e apoiados nesse “poder” desrespeitam por completo a expressão da diversidade política existente no concelho e que tanto proclamam como sendo a base da democracia.

Se, contaminados pela ideia de maioria absoluta do governo, aplicam o princípio de que só os Partidos eleitos na Assembleia Municipal têm direito a ter um espaço nas festas do concelho, é porque se “esquecem” que milhares de eleitores no concelho votaram em partidos que não foram eleitos. E esse esquecimento tem seguramente um significado e é um passo para o autoritarismo.

Na verdade, o PS Loures tomou esta decisão baseado em “princípios” que lhe convêm e não porque a isso foi obrigado, como quer fazer crer!

Invocar cobardemente os critérios seguidos pelo anterior executivo é manipulador e hipócrita: bastaria mudar o regulamento, ou autorizar a nossa participação nas festas do concelho, já que têm poderes para isso. Só que preferem fazer censura e limitar a acção de um Partido defensor dos Trabalhadores, no activo, presente na sociedade e com mais de 52 anos de História.

O problema não está nos princípios que levaram a esta decisão, o que está errado é o executivo liderado por Ricardo Leão estar de acordo com os mesmos.

Se este critério vem do tempo do social-fascista Bernardino Soares, então, nesta matéria, nada mudou, e o executivo do PS é igual ao do Bernardino Soares nesta situação. Não passam de social-fascistas: sempre muito doces nas palavras, mas fascistas nas atitudes. De socialista, o PS não tem nada!

Esta situação só contribui para impedir o debate de ideias entre os partidos eleitos e os não eleitos, e tem como objectivo final calar, para já, os não eleitos. Sempre é menos oposição. Em boa verdade, o executivo do PS está a antecipar-se à vontade várias vezes expressa pela burguesia de impedir os debates com os chamados pequenos partidos.

Apesar de recusados não deixaremos de estar presentes nas Festas do concelho de Loures 2023, com um espaço improvisado, numa atitude proactiva de não nos conformarmos com esta censura e esta atitude pouco democrática do executivo PS da Câmara Municipal de Loures. Situação que que consideramos importante denunciar na comunicação social e nas redes sociais, e vamos contactar nas festas de Loures os nossos militantes a simpatizantes e a população em geral que nos conhece há 52 anos.

Viva o concelho de Loures, e os seus Munícipes…e Social-Fascismo do PS de Loures, do PSD e da “CDU” e do P“C”P nunca mais!

Jul2023

Comité do Concelho de Loures do PCTP/MRPP

pctpmrpp

Partilhar
Está em... Home País LOCAL Loures - Rasga-se o véu diáfano da democracia burguesa