INTERNACIONAL

Guerra na Ucrânia:

Levantemo-nos contra renovadas agressões a quem trabalha!

A burguesia na Ucrânia, a ucraniana e a internacional a operar no país, tem o problema por resolver de trabalhadores a mais num território a ocupar pelas suas importantes riquezas naturais.
O desenvolvimento económico burguês evolui com a progressiva apropriação de bens e crescente concentração do capital em mega empresas de elevada produtividade com operários cada vez mais especializados em número drasticamente reduzido, empurrando milhões de trabalhadores para o desemprego, a exclusão, a fome e a morte.
A OIT (Organização Internacional do Trabalho) estimava no passado mês de Maio que em resultado da guerra quase 5 milhões de empregos tinham sido destruídos no país representando cerca de 30% da força de trabalho ucraniana. Actualmente a exclusão e a exploração dos trabalhadores é incomparavelmente maior. São novas optimizações dos processos produtivos em expectativa com a expropriação e a liquidação de tudo quanto não favoreça novos crescimentos e superiores saques sobre o território e uma redimensionada força de trabalho disponível.
Mas a crise do modo de produção burguês é demasiado profunda e é de tal modo que a própria burguesia na Ucrânia cindiu entre pró-russos e pró-americanos como se pode observar na eclosão do conflito em 2014 agravado pela continuada intervenção americana nos assuntos internos e invasão da Ucrânia pelo exército russo a 24 de Fevereiro de 2022.
É com a guerra que a burguesia resolve os problemas com que depara para perpetuar o seu iníquo modo de produção de exploração do homem pelo homem.
A burguesia faz a guerra com soldados! E os soldados são filhos do povo mobilizados e esmagados ao belo prazer da burguesia!
Os operários devem recusar entregar as armas que fabricam e o grão que produzem para os burgueses, fortalecidos, amedrontarem, roubarem e matarem à fome e à bala quem trabalha!
A guerra na Ucrânia é mais uma guerra de controlo e intimidação dos operários e uma renovada tentativa de legitimar produto e produtividade para o saque com que enriquecem oligarcas e autocratas – e boas e más sobras a toda uma corte de bajuladores e oportunistas.
À classe operária deve-se a efectiva resolução do problema económico: produto e produtividade não são para o prazer do saque, mas sim para a satisfação humana nas suas necessidades, expectativas, criatividade e engenho!  
Tal é o que distingue a solução operária da solução burguesa, o modo de produção comunista do modo de produção onde a alienação assalariada impera!
Viva a classe operária!
Viva quem trabalha!

12Nov2022

Pedro

pctpmrpp

Partilhar
Está em... Home Internacional Guerra na Ucrânia: Levantemo-nos contra renovadas agressões a quem trabalha!