CampanhaFundos202206

IBAN PT50003502020003702663054   NIB 003502020003702663054

26 de Maio de 2024

Nota à Imprensa

PCTP/MRPP informa a sua posição sobre o Serviço Militar Obrigatório no momento presente

Lisboa, 29/04/2024

O Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) considera, e sempre considerou, que a defesa do país compete a todos os cidadãos e não a um grupo de mercenários mesmo que este se designe por Forças Armadas Portuguesas pelo que propugna a prestação, por todos os cidadãos, de Serviço Militar durante um dado período de tempo a definir que lhes permita aprender as perícias militares para, em caso de ataque ao nosso país ou o seu bem-estar se torne impossível, se mobilizem rapidamente para, consoante o caso, repelir esse ataque ou instaurar o bem-estar popular.

Sobre o mesmo tema, o PCTP/MRPP reafirma hoje o que o camarada Arnaldo Matos referia já em 2016:

As Forças Armadas, de portuguesas, só têm o nome. As Forças Armadas ditas portuguesas são hoje um grupo de mercenários, lacaios do imperialismo americano, francês e alemão.

Todas estas tropas mercenárias deviam recolher a Penates, para serem imediatamente desmobilizadas.

Os portugueses não podem nem têm de pagar tropas para defender os interesses do imperialismo, precisamente aquele mesmo imperialismo que também explora o nosso povo em Portugal, nas fábricas que já não são nossas, mas francesas, inglesas, suecas e alemãs, nos bancos que são espanhóis, nos mares que já só falam castelhano.

Ler mais 

Estado em Degradação Política Reprime Violentamente Manifestações Pacíficas de Apoio à Palestina

À volta de 100 estudantes ocuparam durante cerca de uma semana as instalações do departamento de Ciências e Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, em favor da causa palestiniana. Eles exigem o fim das relações da UP com o Estado de Israel, face ao genocídio de Gaza. Por isso, entoaram palavras de ordem como "Solidariedade Proletária por uma Palestina Livre", "Israel não é uma democracia, Israel é um país terrorista" e "A Revolução começa aqui". Cânticos revolucionários, portanto.

Ler mais


O fascista ventura Afinal É Tão ou Mais Corrupto Que os Outros

André ventura, o nazizinho, campeão da honestidade e da luta contra a corrupção, ao fim de contas, é, comprovadamente, corrupto.

Em 2014, o bom do ventura assinou um parecer, enquanto inspector da Autoridade Tributária, que contribuiu para isentar uma empresa de Lalanda e Castro, ex-patrão de José Sócrates, do pagamento de 1,8 milhões de euros de IVA. Este caso foi investigado no âmbito do processo dos "Vistos Gold", por suspeitas de favorecimento de Lalanda e Castro, que também está referenciado na Operação Marquês e é acusado de corrupção no processo Máfia do Sangue. O andré ventura que serviu de peão na manobra de evasão fiscal de Lalanda e Castro é o mesmo histérico ventura que demoniza todos os beneficiários do RSI, incluindo crianças.

Ler mais

Manifestação Contra o Encerramento Nocturno da Urgência Pediátrica do CH Tondela - Viseu/ULS Viseu Dão - 1 de Junho

Para os partidos da burguesia, nada como campanhas eleitorais, oficiais ou não, para em palavras tudo resolver, mas chegados ao poder, o caso fia mais fino…

Num país que chora a baixa natalidade, a “solução” dos governos burgueses (o anterior e o presente) para o problema é encerrar maternidades e urgências pediátricas, primeiro aos fins-de-semana à noite, depois toda a semana à noite e depois, dia sim dia não, etc..

A propósito de mais um caso, o encerramento nocturno do serviço de Urgência Pediátrica do Centro Hospitalar Tondela - Viseu / Unidade Local de Saúde Viseu Dão Lafões, recebemos de uma cidadã mobilizada para a luta a Carta Aberta que abaixo publicamos na íntegra

Carta Aberta

O serviço de Urgência Pediátrica do Centro Hospitalar Tondela - Viseu / Unidade Local de Saúde Viseu Dão Lafões começou a encerrar, de sexta a segunda-feira, durante o período noturno, em março.

Ler mais

EDITORIAL

O Bicentenário do Nascimento de Marx

Arnaldo Matos

No dia 5 de Maio do já corrente ano de 2018 passarão duzentos anos sobre a data do nascimento de Marx.

Karl Heinrich Marx, irmão de nove irmãos e filho de pai e mãe judeus da classe média, nasceu, com efeito, a 5 de Maio de 1818, em Tréveris, a mais antiga cidade da Alemanha, localizada no estado da Renânia- Palatinado, na Prússia.

Conjuntamente com Friedrich Engels, este nascido também na Alemanha, mas em Barmen, a 28 de Novembro de 1820, Marx é o fundador da teoria do socialismo científico, também conhecida como Marxismo ou Comunismo.

O bicentenário natalício de Karl Marx celebrar-se-á numa época em que o proletariado internacional e os marxistas de todo o mundo estão a submeter à análise mais profunda não só o coerência da teoria do marxismo com a realidade, mas toda a experiência de todas as revoluções operárias ocorridas nestes dois últimos séculos, nomeadamente a revolução da Comuna de Paris, o 18 do Brumário em França, a revolução russa de Outubro, a revolução chinesa de 1949 e as sociedades ditas socialistas do leste europeu, do sueste asiático e das Caraíbas.

A monumental obra de Marx, de Engels e de outros revolucionários está igualmente a ser submetida pelos comunistas de hoje, marxistas e proletários mais avançados, a um estudo cuidadoso, criterioso e empenhado, agora que o imperialismo, estádio supremo e último do modo de produção capitalista, está a chegar ao fim e se aproximam os dias em que o modo de produção comunista, fundado no marxismo, irá acabar por impor-se em todo o mundo, criando, pelos meios e processos descobertos e ensinados por Marx, uma sociedade nova, sem exploradores nem explorados.

Tal como no resto do Planeta, também em Portugal os proletários de vanguarda, os combatentes comunistas e os estudiosos do marxismo, obviamente com o Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) à frente, arregaçaram há muito as mangas e estão a unir esforços com a classe operária dos diferentes países, para constituírem os partidos comunistas operários e os movimentos revolucionários que irão encabeçar, nos lugares apropriados, a revolução comunista.

A partir de agora, o estudo da obra científica de Marx e Engels, ligado à prática revolucionária em cada país, vai constituir a principal tarefa dos revolucionários proletários e dos comunistas no nosso país e no resto do mundo.

O nosso Partido -o PCTP/MRPP-, expurgado da canalha liquidacionista, irá organizar nas suas sedes, em todo o país e aberto a todos os homens e mulheres, jovens ou não, sessões de estudo sistemático das obras de Marx, de Engels e de outros revolucionários, nos locais estabelecidos, para, em conjunto com os proletários de todos os outros países, refundarem os partidos comunistas marxistas que irão conduzir a revolução proletária.

O movimento de estudo do marxismo, ligado à prática da revolução proletária, é a tarefa que se impõe a todos os operários, comunistas e marxistas portugueses.

Todos os camaradas militantes, simpatizantes, operários e amigos do Partido devem correr a inscrever-se nas nossas sedes, nos programas de estudo de Marx e do marxismo, pois é daí que os comunistas irão reforçar a sua organização e obter sucessos revolucionários no seu trabalho.

Criemos no ano do bicentenário natalício de Marx, um amplo e poderoso movimento de estudo e divulgação da obra de Marx e de Engels e do marxismo. E sob a bandeira ideológica do Manifesto de 1848: Proletários de Todos os Países, Uni-vos!

06JAN18  


 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar

Está em... Home Editorial O Bicentenário do Nascimento de Marx