CampanhaFundos202206

IBAN PT50003502020003702663054   NIB 003502020003702663054

26 de Maio de 2024

Nota à Imprensa

PCTP/MRPP informa a sua posição sobre o Serviço Militar Obrigatório no momento presente

Lisboa, 29/04/2024

O Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) considera, e sempre considerou, que a defesa do país compete a todos os cidadãos e não a um grupo de mercenários mesmo que este se designe por Forças Armadas Portuguesas pelo que propugna a prestação, por todos os cidadãos, de Serviço Militar durante um dado período de tempo a definir que lhes permita aprender as perícias militares para, em caso de ataque ao nosso país ou o seu bem-estar se torne impossível, se mobilizem rapidamente para, consoante o caso, repelir esse ataque ou instaurar o bem-estar popular.

Sobre o mesmo tema, o PCTP/MRPP reafirma hoje o que o camarada Arnaldo Matos referia já em 2016:

As Forças Armadas, de portuguesas, só têm o nome. As Forças Armadas ditas portuguesas são hoje um grupo de mercenários, lacaios do imperialismo americano, francês e alemão.

Todas estas tropas mercenárias deviam recolher a Penates, para serem imediatamente desmobilizadas.

Os portugueses não podem nem têm de pagar tropas para defender os interesses do imperialismo, precisamente aquele mesmo imperialismo que também explora o nosso povo em Portugal, nas fábricas que já não são nossas, mas francesas, inglesas, suecas e alemãs, nos bancos que são espanhóis, nos mares que já só falam castelhano.

Ler mais 

Estado em Degradação Política Reprime Violentamente Manifestações Pacíficas de Apoio à Palestina

À volta de 100 estudantes ocuparam durante cerca de uma semana as instalações do departamento de Ciências e Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, em favor da causa palestiniana. Eles exigem o fim das relações da UP com o Estado de Israel, face ao genocídio de Gaza. Por isso, entoaram palavras de ordem como "Solidariedade Proletária por uma Palestina Livre", "Israel não é uma democracia, Israel é um país terrorista" e "A Revolução começa aqui". Cânticos revolucionários, portanto.

Ler mais


O fascista ventura Afinal É Tão ou Mais Corrupto Que os Outros

André ventura, o nazizinho, campeão da honestidade e da luta contra a corrupção, ao fim de contas, é, comprovadamente, corrupto.

Em 2014, o bom do ventura assinou um parecer, enquanto inspector da Autoridade Tributária, que contribuiu para isentar uma empresa de Lalanda e Castro, ex-patrão de José Sócrates, do pagamento de 1,8 milhões de euros de IVA. Este caso foi investigado no âmbito do processo dos "Vistos Gold", por suspeitas de favorecimento de Lalanda e Castro, que também está referenciado na Operação Marquês e é acusado de corrupção no processo Máfia do Sangue. O andré ventura que serviu de peão na manobra de evasão fiscal de Lalanda e Castro é o mesmo histérico ventura que demoniza todos os beneficiários do RSI, incluindo crianças.

Ler mais

Manifestação Contra o Encerramento Nocturno da Urgência Pediátrica do CH Tondela - Viseu/ULS Viseu Dão - 1 de Junho

Para os partidos da burguesia, nada como campanhas eleitorais, oficiais ou não, para em palavras tudo resolver, mas chegados ao poder, o caso fia mais fino…

Num país que chora a baixa natalidade, a “solução” dos governos burgueses (o anterior e o presente) para o problema é encerrar maternidades e urgências pediátricas, primeiro aos fins-de-semana à noite, depois toda a semana à noite e depois, dia sim dia não, etc..

A propósito de mais um caso, o encerramento nocturno do serviço de Urgência Pediátrica do Centro Hospitalar Tondela - Viseu / Unidade Local de Saúde Viseu Dão Lafões, recebemos de uma cidadã mobilizada para a luta a Carta Aberta que abaixo publicamos na íntegra

Carta Aberta

O serviço de Urgência Pediátrica do Centro Hospitalar Tondela - Viseu / Unidade Local de Saúde Viseu Dão Lafões começou a encerrar, de sexta a segunda-feira, durante o período noturno, em março.

Ler mais

EDITORIAL

O Debate de Ideias na Imprensa do Partido

Todos os militantes comunistas compreendem a enorme importância e o significativo alcance do debate de ideias políticas e teóricas no seio do Partido e da sua expressão na imprensa revolucionária dos operários.

Todos os meio destinados à propaganda e agitação escritas, nomeadamente o órgão central do Partido Luta Popular, na sua projecção na Web ou no seu suporte em papel, estão especialmente indicados para o debate teórico, ideológico e político nas nossas fileiras, com o intuito de reforçar em cada camarada e em todos os operários o nível da consciência dos militantes comunistas.

O debate de ideias na imprensa do Partido está assim aberto a todos os militantes comunistas, aos proletários e proletárias de uma maneira geral e é sempre visto como uma actividade intelectual enriquecedora.

Fica bem claro que o Luta Popular Online, actual órgão central do Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP), desde que o fundei há perto de sete anos, tem estado sempre aberto à participação dos operários comunistas, quer sejam ou não militantes inscritos e admitidos no Partido.

Nunca houve até hoje em Portugal nenhum órgão central de um partido comunista operário marxista onde fosse tão livre o debate de ideias na imprensa do Partido. E estamos dispostos a manter por todo o sempre esta linha de rumo revolucionária.

Aqui há uns tempos, nos fins de Janeiro, um provocadorzeco de merda, escrevinhando sob pseudónimo achincalhante, da canalha do Garcia, resolveu enviar para o Luta Popular Online um texto de analfabeto, pretendendo com ele lançar a discussão no Partido, através da sua impressão.

O debate de ideias admitido na imprensa de um partido operário comunista marxista-leninista é um debate responsável, para tratar das coisas sérias que preocupam a revolução e o proletariado em Portugal e no Mundo, e não para expelir diarreias mentais de grosseiros provocadores, escondidos sob pseudónimos ridículos, que a léguas cheiram a gatunos e reaccionários do tipo de Garcia e dos seus muchachos.

Estes provocadores têm pretendido fazer passar as suas reacionarices primárias como ideias e debates na nossa imprensa do Partido. Mas querem fazê-lo sem assumir a mínima responsabilidade pública pelas escriturezas que produzem. Não são como eu e outros publicistas comunistas – e como todos os que servem o proletariado revolucionário e lutam ao seu lado na revolução comunistas – pois esses não têm medo de assinar o que escrevem e esperam de peito aberto o ataque dos contrários.

Queremos um vasto e profundo debate de ideias, sério e proletário, mas nunca o cobarde ataque anónimo, que tem a chancela indisfarçável do Garcia, do Bolhão e de outros ignorantes do mesmo grupelho, liquidacionistas que tentaram liquidar sem êxito o nosso Partido.

O cobarde Garcia especializou-se durante muito tempo a atacar o director da TAP no Luta Popular Online, em vez de se preocupar em defender a permanência da nacionalização da empresa sob controlo dos seus próprios trabalhadores. Mas nunca assinou com o seu nome os seus textos, fazendo do pseudónimo a máscara da sua nojosa cobardia.

E fazia isso para não perder eventuais clientes do seu escritório de advogado falido. Enquanto isso, eu e outros defendíamos os pescadores, os operários das fábricas, a TAP, os funcionários públicos, atacando e denunciando sempre, com nosso próprio nome em riste, toda a canalha que é preciso denunciar, desde os presidentes da República aos chefes e ministros de governo, sem esquecer os almirantes e generais de todos ramos das forças armadas, denunciando-os e tratando-os como aquilo que verdadeiramente são: contra-revolucionários e canalhas.

E acumulámos um significativo número de processos-crime nos Tribunais.

No século XIX, Buffon escreveu que o estilo era o Homem. Acho que tinha e ainda hoje tem razão.

Os que pretendem dirigir a revolução, defender e servir o proletariado assumem-se e assinam as suas ideias, não se alapam como cobardes sem carácter.

Lx. 09.03.2017

Arnaldo Matos

 

 

 

 

 

Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar

Está em... Home Editorial O Debate de Ideias na Imprensa do Partido