PAÍS

Soarão os sinos, mas serão de finados

Ufano e preocupado, eis como se apresentou o Costa após a “maratona negocial” no conselho europeu  com  duração quase record, segundo os registadores de records.

Ufano com os milhares de milhões que obteve; preocupado com a capacidade para os gastar.

Ufano, não se percebe muito bem porquê: a Grécia conseguiu quase o dobro, 75 mil milhões, e tem filas de turistas nas fronteiras. Já preocupado percebe-se perfeitamente: para gastar metade, mesmo com falcatruas pelo meio, tem sido o cabo dos trabalhos, imagine-se agora a gastar o dobro ou o triplo ao longo de anos com os olhos dos putanheiros e bêbados frugais nas costas! É de preocupar, e muito...

Mas daqui, podemos afiançar que vai conseguir gastar a massa toda sem dificuldades de maior. Ajudas não faltarão, até de agricultores holandeses que virão p’ra cá ajudar também a gastar mais alguns cobres.

O problema vai ser que não vai chegar. Vão gastar os 45 milhares de milhões e vai chegar-se ao fim e a situação não se vai salvar. Vai até ser pior, pelo menos para a classe operária e para os outros trabalhadores. E o mais certo é ir haver discussão da grossa com todos a acusarem-se uns aos outros de terem culpas no cartório. Mas acusarem-se de quê? O preço já estava inscrito no cheque que pagou os milhares de milhões e que o Costa, com o apoio de “todos”, assinou em Bruxelas! Cheque esse, é preciso dizer, a descontar com fome e miséria na vida dos operários e dos seus filhos. E não é por escaparem à designação habitual de operário que muitos que se julgam classe média vão escapar à sorte de operário.

É de uma “reconfiguração” do seu sistema o que a burguesia precisa para se salvar como classe dominante; de uma reconfiguração que agrave a níveis sem precedentes a exploração do trabalho humano e a opressão dos despossuídos. Vai servir tudo! Propaganda em barda! Bodes expiatórios para todos os gostos, desde imigrantes até aos negros passando pelos jovens que "não querem trabalhar", pelos velhos que "são um peso cada vez maior para a sociedade" ou por qualquer fracção que a burguesia encontre para manipular e quebrar a unidade dos explorados e oprimidos.

E soarão os sinos… mas não os da bolsa.

Frustrá-la-emos nos intentos e varrê-la-emos para o caixote do lixo da História.

AO COMBATE!

PARA OS OPERÁRIOS PODEREM VIVER, O CAPITALISMO TEM QUE MORRER!

VENCEREMOS!

23Jul2020

JP

pctpmrpp

Partilhar
Está em... Home País POLÍTICA GERAL Soarão os sinos, mas serão de finados