Ensaio

De Um Proletariado “Submisso” a Um Proletariado Organizado!

Foi no início da constituição da lista de candidatos para as eleições de 25 de Outubro, para a Assembleia Regional da Região Autónoma dos Açores, que os camaradas se depararam com um recuo verdadeiramente notório e substancial do Proletariado na região. Este recuo começa desde logo em alguns núcleos de simpatizantes do nosso partido, e estende-se até aos mais incautos elementos do povo açoriano, menos conscientes e menos preparados no que concerne à política de alienação e delapidação que tem vigorado na Região Autónoma dos Açores.

A burguesia regional sabe bem da força e da capacidade que a Classe Operária açoriana possui no que toca a pôr termo à dominação burguesa sobre o arquipélago, e é do seu interesse máximo em fazer tudo o que estiver ao seu alcance para travar e impedir o desenvolvimento e a consciencialização da classe trabalhadora regional. No pensamento de alguns proletários e proletárias, acham-se eles os mais fracos, isto é, a classe que nada pode fazer para alterar o grotesco e desumano paradigma em que vivemos. Esta ideia de aparente fraqueza proletária é absolutamente falsa e de uma grande facilidade de desmontar, de forma prática, teórica e até histórica.

O proletariado açoriano deve armar-se a todos os níveis! Através de uma verdadeira unidade operária, a classe trabalhadora regional poderá combater fortemente e de maneira permanentemente eficiente e com resultados mais aprimorados a burguesia regional e o seu maior representante, o mestre da banalidade e da mentira repetida até à exaustão, Vasco Cordeiro – agora substituído por José Manuel Bolieiro, na direção do governo regional da burguesia no arquipélago dos Açores.

Os Açorianos não podem viver com medo de serem perseguidos, seja em que perspectiva for, por assumirem posições de demarcação com a teia da burguesia, sobretudo por se organizarem em sindicatos, comissões de trabalhadores e outros organismos do poder popular e comunista. A única arma que a classe operária tem nas suas mãos é a sua organização, sem dúvidas a organização dos trabalhadores de todos os sectores de trabalho e de vida.

Que a Classe Operária não se acobarde, pois é inquestionável que só ela é a classe mais avançada da sociedade, e que sendo dirigida e educada por uma organização verdadeiramente alicerçada nos princípios de Karl Marx e Friedrich Engels, obterá vitórias tão caras ao proletariado internacional, tais como: a ditadura do proletariado, o controlo operário sobre toda atividade laboral e a propriedade operária dos meios de produção/forças produtivas.

VIVA A GLORIOSA CLASSE OPERÁRIA AÇORIANA!
VIVA O MARXISMO!

16Nov2020

José Afonso Lourdes      
(Redactor do Luta Popular)

pctpmrpp

Partilhar
Está em... Home Ensaio De Um Proletariado “Submisso” a Um Proletariado Organizado!