Partido

Manifesto do Partido Comunista

 

Notas de Estudo

XIII

No campo teórico, já eram conhecidas as ideias fundamentais do Manifesto, ou aparecem aí pela primeira vez?

 

____ * ____

 

     (Continuação)

No mesmo ano de 1845 em que foi publicada em Francoforte A Sagrada Família, foi também editada em alemão a obra de Engels intitulada A Situação da Classe Trabalhadora em Inglaterra, texto que contribuiu para uma viragem no pensamento de Marx na compreensão da história.

Forçados a abandonar Paris, Marx e a família refugiaram-se em Bruxelas, onde encontraram Engels, que Marx já conhecia por troca de correspondência, e começaram os dois a escrever A Sagrada Família. Também em conjunto escreveram A Ideologia Alemã, que representa um ajuste de contas dos dois autores com a sua consciência teórica anterior e com os seus amigos da esquerda hegeliana.

O manuscrito da Ideologia Alemã ficou terminado em 1846, mas nunca foi publicado em vida de Marx ou de Engels. Não tendo encontrado editor, o manuscrito, como mais tarde ironizaria Marx, ficou submetido “à crítica corrosiva dos ratos”, e só veio a lume em 1933, em Leipzig e Moscovo simultaneamente.

A viragem de Marx (e de Engels) para o materialismo histórico assume-se definitivamente na Ideologia Alemã: “não é a consciência dos homens que determina o seu ser, mas o seu ser social que, inversamente, determina a sua consciência”, para citar um resumo do próprio Marx feito no prefácio à Contribuição para a Crítica da Economia Política, de 1859.

O materialismo histórico, a produção da consciência, a dialéctica da história, o comunismo – todas as bases teóricas fundamentais do marxismo, que constituem a alma do Manifesto do Partido Comunista, publicado, como sabemos, em 21 de Fevereiro de 1848, já estavam definidas na Ideologia Alemã, em 1846, dois anos antes, muito embora o texto só tivesse sido publicado, como se deixou também já sublinhado atrás, em 1933.

Depois das experiências falhadas da União Soviética e da China Popular, é à Ideologia Alemã que o proletariado tem de voltar para pôr de pé o marxismo e o comunismo. Todo o Marx, a partir do Manifesto, tem de ser lido à luz da Ideologia Alemã. Incluindo O Capital.

Sempre muito operativo e prático, Engels escreveu em Paris um projecto de programa para a Liga dos Comunistas com o título de Princípios Básicos do Comunismo, por encargo do Comité Regional da Liga, que ficou pronto em Novembro de 1847, sob a forma de catecismo, em perguntas e respostas.

Depois de pronto o texto, Engels escreveu a Marx – carta de 23/24 de Novembro de 1847 – propondo-lhe abandonar Os Princípios Básicos na forma de catecismo e avançar com a redacção de um programa para a Liga dos Comunistas sob a forma de Manifesto Comunista. As suas opiniões foram aprovadas no Congresso da Liga dos Comunistas, e aí Marx e Engels foram encarregados da tarefa, que cumpriram com a produção conjunta dessa primeira grande obra-prima do proletariado revolucionário: O Manifesto do Partido Comunista.

Os Princípios Básicos do Comunismo acabaram por só serem publicados em 1914. A editora Vento de Leste, do  Partido, publicou-os em 1975.

A resposta à questão colocada no início das duas últimas Notas de Estudo é pois esta: as ideias fundamentais do Manifesto do Partido Comunista já tinham sido formuladas por Marx e Engels, sobretudo na Ideologia Alemã, mas em textos que todavia não tinham sido publicados.

Mas o que se deve salientar é que a teoria do marxismo e do comunismo se desenvolveram ao mesmo tempo que se desenvolvia o

movimento revolucionário do proletariado. É o ser social que determina a consciência…

 

          18.03.2016

Luta Popular

                                                                                                                                                                                                                                                                                           







Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar