PAÍS

FÁBRICA DURA NA GUARDA:
UM GOVERNO TRAIDOR

AOS TRABALHADORES!
O estado de esgotamento em que se encontra o modo de produção capitalista é cada vez mais calamitoso! A demonstrá-lo, está a grave situação com que se depara, entre muitas outras empresas, a multinacional norte-americana DURA – Automotive da Guarda, e os mais de uma centena e meia de operários que ali vendem a sua força de trabalho. Senão vejamos!
DURA -entradaDepois de já anteriormente, ter procedido a várias reduções no número de trabalhadores em virtude da quebra na procura dos seus produtos, a Administração anuncia agora o despedimento colectivo de mais cerca de seis dezenas de operários, justificando a medida com a deslocalização da sua principal cliente – a alemã Magna BÖCO GmbH para a Índia, em busca de mão-de-obra escrava, mais barata, claro está!
Perante o drama social que afecta principalmente os operários, pondo em risco a sua própria subsistência, decorrente do actual modo de produção capitalista e da sede insaciável de acumulação de riqueza que o move – agora que a democracia burguesa se encontra ameaçada de morte –, eis como as várias forças que apenas pretendem perpetuá-la se unem e erguem em bicos de pés para gritar o slogan da Solidariedade Com a Classe Operária!...
A Administração da empresa diz que nada pode fazer…
A menos que o Governo imbuído de um espírito fraternal assuma a injecção de alguns milhares em fundos, sem que mesmo assim fique assegurada a continuidade da fábrica em Vila Cortês do Mondego;
Sem perder tempo, António Costa, cumpridor como é em honrar a palavra dada (…) e agradecer os bons préstimos dos seus bajuladores, não hesita em mandar a sua ministra do trabalho, Ana Mendes Godinho, e aproveita para lançar em grande estilo um novo modelo de “governação de proximidade”;
DURA - ministra RTPSabe-se que Paulo Ferreira e a Comissão de Trabalhadores no seu conjunto têm levado a cabo uma série de esforços no sentido de garantir não só a continuidade da empresa na Guarda, mas assegurar também a continuidade do maior número possível dos postos de trabalho em risco; contudo, é bom que ninguém se iluda com a boa vontade do governo e dos vários ministérios envolvidos, pois o que a ministra e a Administração da fábrica procuram, é adocicar o cozinhado, que já se adivinha sem sal(ário) para o elevado número de operários despedidos.
O Bloco de “Esquerda”, como habitualmente, faz perguntas ao governo, para nos informar que desde o Ministério dos Negócios Estrangeiros ao do Emprego e Segurança Social estão todos preocupados com a situação… Nem sequer faltando a preocupação do presidente (PSD) da autarquia da Guarda que lamentou não se ver integrado na comitiva negocial, sentindo-se ultrapassado pelo adversário na acirrada disputa de influências…
Mas aquilo que a seita de falsos amigos dos trabalhadores não diz é que em vez do céu prometido é o inferno que este modo de produção capitalista apenas tem para dar;
DURA - ministra reunidaQue ao contrário da abundância prometida na recente campanha para as Eleições Legislativas, o que o novo (velho!) governo e suas muletas escondidas têm para dar é mais desemprego, mais fome e mais miséria, já que o colapso do mundo capitalista está aí…
Só os proletários, tomando o destino nas suas próprias mãos, podem resolver a crise contínua em que o imperialismo global mergulha o Planeta e que só poderá ser eliminada definitivamente com a passagem ao modo de produção comunista e a implantação de uma sociedade de iguais, sem exploradores nem explorados!
Operários da DURA: Uni-vos e Organizai-vos no vosso próprio Partido Comunista Proletário Marxista!
Viva a Revolução Proletária Comunista!
Viva o Proletariado Revolucionário!
Viva o Comunismo!

Comité Regional do Maciço Central
PCTP/MRPP                   

30DEZ2019

Partilhar
Está em... Home País MOVIMENTO OPERÁRIO E SINDICAL FÁBRICA DURA NA GUARDA: UM GOVERNO TRAIDOR