Partido

PSA – Mangualde:                  

DIZER NÃO À ESCRAVIDÃO!

E PROCLAMAR A EMANCIPAÇÃO DA CLASSE OPERÁRIA!

 

Criado há 57 anos, o Centro de Produção de Mangualde, com o progresso industrial obtido à custa da força de trabalho dos seus operários, transformou-se na Grande Fábrica – PSA –, onde perto de um milhar de homens e mulheres produzem um astronómico volume de riqueza que diariamente lhe foge das mãos…, recebendo em troca, apenas, exíguas migalhas para o seu sustento!...

Hoje, a quantidade de riqueza, assim como a concentração da força de trabalho que a produz, são incomparavelmente escravidaomaiores do que aquelas que no primeiro ano de produção (1964) permitiram, à então Citroen, pôr no mercado automóvel as 472 unidades do modelo AZL, o conhecido Citroen 2CV, produzidas ao longo desse ano…

A diferença de números é abismal... Só nos primeiros 6 meses deste ano, os actuais cerca de 800 operários e operárias da PSA produziram 38 mil automóveis – mais 15,1% do que no mesmo período do ano passado!

A produção em sistema de 3 turnos consolidou-se; e o aumento de volume de vendas, dos vários modelos aqui fabricados que, como se sabe, já inclui a nova carrinha Opel-Combo, obriga a que uma quantidade cada vez maior de carros tenha que ser produzida…

Mas a sede de lucro, sendo crescente na mesma proporção…, leva a Administração, não a aumentar de forma equivalente a quantidade e qualidade das condições de trabalho mas, ao contrário, exigir dos operários, trabalho sem descanso até à exaustão!...

É assim que, de forma prepotente e arbitrária, a Administração decretou semanas de 6 dias de trabalho, para pelo menos Julho e Agosto, com turnos diários até 10 Horas, prometendo, em troca, miseráveis prémios, pelo trabalho ao sábado e às horas extraordinárias roubadas ao descanso e ao convívio familiar dos operários;

E para levar por diante os seus intentos, a Administração ameaça que, sem flexibilidade e o banco-de-horas a funcionar tal como está, a fábrica pode fechar…, lembrando ainda o velho acordo feito com os traidores da “Comissão de Trabalhadores”, negociado em 2016, que, como se sabe, os operários nunca aceitaram!

Pura chantagem!...

Com tais argumentos, a Administração apenas visa desmobilizar os operários da luta e quebrar o ímpeto do nosso levantamento contra este regime de escravidão!

Operários da PSA!

Lutai pela unidade de classe, e, por uma organização própria, capaz de vos fazer obter sempre vitórias!

Desconfiai dos “negociadores” lacaios da Administração, que nas vossas costas têm sempre traído os objectivos da luta!

A greve ao sábado pelo fim da bolsa-de-horas e a garantia de 2 dias de descanso consecutivo (sábado e domingo) é já o prenúncio das grandes vitórias que se avizinham e serão alcançadas no calor da luta que deve avançar, também, pela aplicação da Semana das 35 Horas para Todos os Trabalhadores.

Não à Produção Extraordinária!

Fim à Bolsa-de-Horas!

Viva a Revolução Comunista Proletária!

Viva o Partido Comunista Operário!

 

23JUL2019

                                                                                                       O Comité Regional do Maciço Central                    

 

 

Partilhar
Está em... Home Partido DIZER NÃO À ESCRAVIDÃO