Partido

Atenção Operários Portugueses:
O Imperialismo Nazi Alemão Está em Palmela

A administração da empresa de fabricação de automóveis Volkswagen Autoeuropa, em Palmela, distrito de Setúbal, anunciou hoje de manhã, dia 12 de Dezembro, aos seus trabalhadores que passará a laborar todos os sábados, a partir do final de Janeiro.
“Em finais de Janeiro, declararam os nazis imperialistas alemães acantonados em Palmela, vamos iniciar o modelo de trabalho de 17 turnos semanais, que garante a produção aos sábados a dois turnos”
Ora, a divergência entre os patrões imperialistas alemães e os operários portugueses sobre os horários de trabalho arrasta-se há alguns meses e levou já a uma greve histórica em Palmela – primeira greve na empresa desde que aí se constituiu – e a um referendo em plenário. A Comissão de Trabalhadores rejeitou já frontalmente dois pré-acordos sobre os termos do trabalho ao sábado e da laboração contínua, ou seja, em três turnos diários.
A laboração contínua, tal como a pretendem os patrões imperialistas nazis alemães, tem um impacto demolidor sobre a vida dos operários e outros trabalhadores, radicalmente oposto às condições do horário de trabalho em vigor na empresa até agora.
Os operários da Volkswagen Autoeuropa de Palmela não querem trabalhar ao sábado e já o disseram, alto e bom som, aos nazis imperialistas alemães que os têm estado a explorar e a oprimir em Setúbal.
E também já disseram que não querem trabalho contínuo a três turnos por dia, pois isso implica trabalhar quarenta horas por semana pelo preço da jornada de 35 horas semanais, medida que não só é ilegal como agrava substancialmente a exploração e opressão dos operários e operárias de Palmela e das demais estruturas produtivas que trabalham para a Autoeuropa.
Quanto às remunerações adicionais, o modelo agora pretendido impor à força é em tudo semelhante ao último pré-acordo rejeitado. O pré-acordo previa que até ao verão os trabalhadores recebessem horas extraordinárias pelos sábados trabalhados, tal como agora o modelo tentado impor prevê um prémio de 100% sobre cada sábado trabalhado. Para além do mês de Agosto do próximo ano, os sábados trabalhados deixarão de ser pagos com aquele prémio de 100%, e passarão a receber apenas 150 euros mensais…
Os nazis imperialistas alemães da Autoeuropa pretendem fabricar um automóvel T-Roc com a pele, a carne e o sangue dos trabalhadores portugueses.
Toda a comunicação social, governo, ministros e patronato uniram forças para ajudar os nazis imperialistas alemães de Palmela a arrancar a pele aos trabalhadores portugueses, impondo-lhes pela força um contrato de trabalho ilegal e não negociado, que permite aos germânicos fabricar à custa dos trabalhadores portugueses uma viatura que passará ser o símbolo da exploração do proletariado de um pequeno país, como é Portugal, pelo imperialismo germânico.
Toda a classe operária portuguesa deve unir-se como um só homem contra os nazis imperialistas alemães, obrigar o patronato germânico a voltar à mesa das negociações, cialis prix cumprir as leis em vigor, exigir condições de trabalho e de salário adequados às exigências dos operários, guardar a semana das 35 horas semanais, e não trabalhar ao sábado nem ao domingo.
Preparemo-nos para a greve na empresa Vokswagen da Autoeuropa de Palmela!
Proletários de todos os países, uni-vos!
Viva a luta dos operários da Autoeuropa em Palmela!
– 7 horas por Dia;
 - 5 Dias por Semana;
 - 2 Dias de Descanso Semanal (Sábado e Domingo);
 - 25 Dias Úteis de Férias por Ano.
12Dez17

Espártaco


 

 

 

 

 

 

 


Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar

Está em... Home Partido Atenção Operários Portugueses: O Imperialismo Nazi Alemão Está em Palmela