Partido

Estudemos!

Muito e aprofundadamente! Analisem tudo o que for alvo do vosso estudo de forma sistemática e rigorosa! Discutam de forma viva e sem barreiras ou preconceitos! Mas estudem! De preferência recorrendo aos textos originais dos grandes mestres – Marx, Engels e Lenine – ou, não podendo a eles recorrer, aos livros que as editoras ligadas ao Partido - a Vento de Leste e as Publicações Nova Aurora – publicaram.

É que, sem Teoria Revolucionária não existe Prática Revolucionária! É a este deficite de estudo que se refere o camarada Arnaldo Matos quando, em vários dos seus textos e intervenções, acusa a clique liquidacionista de ter, de forma reiterada e propositada, impedido o estudo, a análise e a discussão nas fileiras do nosso Partido Operário Comunista.

Em Revisionismo e Liquidacionismo, um desses textos que o Luta Popular Online publicou, o camarada Arnaldo Matos afirma, muito justamente, que “...a luta teórica, ideológica, política e organizativa pela mobilização revolucionária do proletário, à escala nacional e mundial, e, antes de tudo, pela edificação do seu partido comunista proletário marxista-leninista, está de novo na ordem do dia e deve unir os proletários de todos os países” para, mais adiante, concluir que:
... essa contra-revolucionária direcção bicéfala do Partido não se limitou a não denunciar, a não atacar e a conviver com o revisionismo, o que só por si já é um crime de lesa-proletariado; não, essa canalha dirigente anti-comunista e contra-revolucionária nunca fez qualquer divulgação da teoria marxista e da ideologia comunista nem entre os militantes do Partido, seus simpatizantes e amigos, nem entre a massa dos operários, dos explorados e dos oprimidos”.

Sem aquilo que o estudo representa e proporciona, a classe operária e os militantes e simpatizantes comunistas ficam desprovidos de um instrumento que lhes permitirá, a cada momento, aferir das condições objectivas e subjectivas para a prossecução da revolução, da justeza do programa, da Linha Geral e das acções que a direcção do Partido lhes está a propor para, de forma crítica, construtiva e revolucionária se organizar se e, quando tal for necessário, opor-se a todo e qualquer desvio oportunista e contra-revolucionário.

Se é certo que o estudo não pode servir de desculpa para o abandono das outras tarefas que a revolução e a luta exigem, não menos certo é que ele proporciona maior consistência, eficácia e coerência à execução das mesmas e, sobretudo, previne e impede o surgimento do carreirismo, do seguidismo e do tarefismo, todas elas tendências que levam à vitória da corrente liquidacionista no seio do partido.

08.12.2015

Luis Júdice




Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar