Partido

As Catatuas

Familiares muito íntimos de Garcia Pereira e de Domingos Bulhão, membros suspensos do Comité Permanente do Comité Central, têm estado nas redes sociais, nomeadamente no facebook, a desferir ataques pessoais, cobardes e nojentos, contra o Partido, do qual não são nem nunca foram militantes.

Trata-se de umas catatuas arrivistas, cuja missão reaccionária parece ter por objecto afastar Garcia Pereira e Domingos Bulhão definitivamente do Partido.

Acontece que os dejectos dessas araras vomitados sobre o Partido não correspondem nem ao sentido nem à forma dos relatórios auto-críticos apresentados por Garcia Pereira e por Domingos Bolhão, e que estão a ser estudados neste momento pelo Comité Central.

Fica o Comité Central do Partido sem saber se deve tomar ou não como sérias as auto-críticas daqueles dirigentes, por agora suspensos, ou se essas auto-críticas devem ser totalmente rejeitadas, em vista dos cobardes e chulos ataques desferidos pelos seus familiares mais íntimos.

Decerto que nenhum dirigente do Partido pode ser directamente responsabilizado pelo que diz a mulher, a filha ou a sobrinha. Mas há uma coisa a que o dirigente está obrigado: a demarcar-se publicamente dos cobardes, nojentos e insultuosos ataques públicos ao Partido, provenientes dos seus familiares mais íntimos.

Há todavia uma coisa que o nosso Partido nunca se permitirá fazer: publicar nas mesmas redes sociais as auto-críticas dos militantes familiares dessas catatuas, onde se veria, talvez sem espanto, que as arrependidas opiniões deles são totalmente diferentes das aleivosas opiniões delas…

Estamos todos à espera dessa demarcação pública dos dois membros suspensos do comité permanente, relativamente aos insultos dos seus familiares mais íntimos.

12.11.2015

Carlos Paisana
Director do Luta Popular Online
e membro do Comité Central




Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar