PAÍS

Vila Dias: Os moradores, quando ousam lutar, ousam vencer!

A vereação da Câmara Municipal de Lisboa terá comunicado esta 5ª feira, dia 27 de Fevereiro de 2020 que, finalmente, terá assinado o contrato de promessa de compra e venda da Vila Dias, um bairro maioritariamente operário, construído há mais de 2 séculos para albergar os operários que trabalhavam na então florescente indústria de lanifícios situada no Beato, em Lisboa.

Aconselhamos a população da Vila Dias e a sua respectiva Associação de Moradores a não soltarem o foguetório enquanto não lhes for exibida a escritura que passará a propriedade da Vila para o património camarário. E mesmo depois de tal acontecer, sugerimos que estejam preparados para prosseguir a luta, pois há que levar a CML a fazer as obras de reabilitação necessárias para que a Vila tenha condições de habitação e salubridade que, manifestamente, não possui.

Além disso, os moradores têm de compreender que a única coisa que se altera é a propriedade da Vila. Nada assegura que a CML, agora na posse da Vila Dias, conhecida a sua política de “acrescentar valor”, não venha a ter os mesmos apetites especulativos que os antigos proprietários sempre – e descaradamente – exibiram.

É preciso, aliás, recordar que esta luta que dura há quase uma década, foi despoletada, precisamente, pelo facto de as proprietárias – que ainda hoje não se percebe como se apropriaram da Vila Dias e do seu património – passaram procuração a uma empresa – a RETOQUE – que se limitou a aterrorizar, a chantagear e a perseguir os moradores, nunca tendo procedido a qualquer das obras de reabilitação com que pretendia justificar o aumento de rendas que queria impor aos moradores.

Quando em 2012 – era então presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa – o PCTP/MRPP se envolveu na justa luta dos moradores da Vila Dias, tudo fizemos para lhes demonstrar que sem luta dura e prolongada, sem organização, as suas pretensões nunca seriam alcançadas. Há quase uma década demonstrámos aos moradores da Vila Dias,  que a Junta de Freguesia do Beato e a CML enchiam a boca de lindas promessas, mas que fugiam – como têm fugido a centenas de outras promessas feitas aos lisboetas – às suas responsabilidades se os moradores não persistissem na pressão e na luta.

Há quase uma década, quando propusemos, numa primeira fase,  a posse administrativa que habilitou a CML a demolir a parte do sector da Vila mais degradado e com risco de segurança para os moradores e, numa segunda fase, que a CML exercesse o seu direito de preferência, face a uma manobra das senhorias em vender a propriedade a uma empresa “fantasma”, quer a Câmara Municipal de Lisboa, quer a Junta de Freguesia do Beato, quer os então vereadores Helena Roseta, Paula Marques e essa figura sinistra que dá pelo nome de Manuel Salgado, começaram por se opor de forma determinada a tais soluções para, mais tarde, fingindo concordar com elas paralisarem, na prática, a sua execução.

Hoje, volvidos quase 10 anos, todos eles, forçados pela justa luta dos moradores da Vila Dias, assinaram – alegadamente – o contrato de promessa de compra e venda que assegura a transferência para o património muncipal daquela Vila. Mas, atenção! Os moradores da Vila Dias não podem baixar os braços e dar-se por satisfeitos com esta suada e merecida vitória.

Abre-se agora uma nova frente, a frente das obras de reabilitação e instalação de uma rede de esgotos – hoje inexistente, o que torna insalubre todo o bairro –, não permitindo que a CML se limite, como os proprietários anteriores, a efectuar meras “...obras de pregar pregos e ajeitar degraus das escadas”, quando o que os moradores precisam é de muito mais do que isso, “nomeadamente obras de reparação de telhados, esgotos e de recuperação de casas em estado de ruína.”

Dissemo-lo há 5 anos, repetimo-lo agora. Os moradores da Vila Dias não podem mais alimentar ilusões àcerca das promessas mil vezes repetidas pela Junta de Freguesia do Beato e, sobretudo, por parte do executivo camarário, nomeadamente por parte do seu presidente Fernando Medina e do vereadores Paula Marques e Manuel Salgado.
 
Se ousarem lutar, se persistirem numa luta que será dura e prolongada, os moradores da Vila Dias vencerão todas as lutas e batalhas em que se envolverem!

29FEV2020

LJ

pctpmrpp 01

 

Partilhar
Está em... Home País LOCAL Vila Dias: Os moradores, quando ousam lutar, ousam vencer!