EDITORIAL

O Bicentenário do Nascimento de Marx

Arnaldo Matos

No dia 5 de Maio do já corrente ano de 2018 passarão duzentos anos sobre a data do nascimento de Marx.

Karl Heinrich Marx, irmão de nove irmãos e filho de pai e mãe judeus da classe média, nasceu, com efeito, a 5 de Maio de 1818, em Tréveris, a mais antiga cidade da Alemanha, localizada no estado da Renânia- Palatinado, na Prússia.

Conjuntamente com Friedrich Engels, este nascido também na Alemanha, mas em Barmen, a 28 de Novembro de 1820, Marx é o fundador da teoria do socialismo científico, também conhecida como Marxismo ou Comunismo.

O bicentenário natalício de Karl Marx celebrar-se-á numa época em que o proletariado internacional e os marxistas de todo o mundo estão a submeter à análise mais profunda não só o coerência da teoria do marxismo com a realidade, mas toda a experiência de todas as revoluções operárias ocorridas nestes dois últimos séculos, nomeadamente a revolução da Comuna de Paris, o 18 do Brumário em França, a revolução russa de Outubro, a revolução chinesa de 1949 e as sociedades ditas socialistas do leste europeu, do sueste asiático e das Caraíbas.

A monumental obra de Marx, de Engels e de outros revolucionários está igualmente a ser submetida pelos comunistas de hoje, marxistas e proletários mais avançados, a um estudo cuidadoso, criterioso e empenhado, agora que o imperialismo, estádio supremo e último do modo de produção capitalista, está a chegar ao fim e se aproximam os dias em que o modo de produção comunista, fundado no marxismo, irá acabar por impor-se em todo o mundo, criando, pelos meios e processos descobertos e ensinados por Marx, uma sociedade nova, sem exploradores nem explorados.

Tal como no resto do Planeta, também em Portugal os proletários de vanguarda, os combatentes comunistas e os estudiosos do marxismo, obviamente com o Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) à frente, arregaçaram há muito as mangas e estão a unir esforços com a classe operária dos diferentes países, para constituírem os partidos comunistas operários e os movimentos revolucionários que irão encabeçar, nos lugares apropriados, a revolução comunista.

A partir de agora, o estudo da obra científica de Marx e Engels, ligado à prática revolucionária em cada país, vai constituir a principal tarefa dos revolucionários proletários e dos comunistas no nosso país e no resto do mundo.

O nosso Partido -o PCTP/MRPP-, expurgado da canalha liquidacionista, irá organizar nas suas sedes, em todo o país e aberto a todos os homens e mulheres, jovens ou não, sessões de estudo sistemático das obras de Marx, de Engels e de outros revolucionários, nos locais estabelecidos, para, em conjunto com os proletários de todos os outros países, refundarem os partidos comunistas marxistas que irão conduzir a revolução proletária.

O movimento de estudo do marxismo, ligado à prática da revolução proletária, é a tarefa que se impõe a todos os operários, comunistas e marxistas portugueses.

Todos os camaradas militantes, simpatizantes, operários e amigos do Partido devem correr a inscrever-se nas nossas sedes, nos programas de estudo de Marx e do marxismo, pois é daí que os comunistas irão reforçar a sua organização e obter sucessos revolucionários no seu trabalho.

Criemos no ano do bicentenário natalício de Marx, um amplo e poderoso movimento de estudo e divulgação da obra de Marx e de Engels e do marxismo. E sob a bandeira ideológica do Manifesto de 1848: Proletários de Todos os Países, Uni-vos!

06JAN18  


 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar

Está em... Home Editorial O Bicentenário do Nascimento de Marx