CULTURA

Poemas mínimos 2

Poemas mínimos

 

XXV

Há um fogo de luz

Em cada estrela,

Anjos perdidos no caminho,

Céu sem árvores

Para descanso,

Asas queimadas de luz.

Em vão procuram abrigo.

 

Mar vermelho, convulsões,

pontes de mar unindo os mundos,

culatras atrás, ruídos de aço, troar de canhões;

Faíscas rompendo a abóbada celeste,

Trovoada de anjos,

Música para um novo mudo.

 

XXVI

A fábrica

Martelar contínuo

De relógios pesados

A ritmo intenso.

Sinfonia dos deuses.

 

13Jun17

João Camacho

 

 

 

 

 

 

Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar

Está em... Home Cultura Poemas mínimos 2