CULTURA

Alevantes do milho

Alevantes do milho


Saíu o milho no cais.

Amoeda o morgado.

Em casa brilha

Baixela de prata.

No chão batido

Com o pé descalço

Lustra a fome

Em casa o camponês.

Sai do granel mais milho

A embarcar.

Erguem-se enxadas,

Forquilhas e paus.

Não sai mais milho

Da Ilha em sacas

Que o milho é preciso

Para fazer pão!

Hoje não é de barco

Que nos levam o sangue.

Nem em sacas o dinheiro.

Em transferência digital

Tiram-nos quanto sacam

E ainda por compra

O resto nos tomam,

Casas, terras, fábricas

Mar e barcos,

Mais as estradas do céu.

Mingua o salário.

Insolve a empresa.

Prenha a traição.

Vamos à liça!

Não deixemos tomar!

Não deixemos sair!

Não deixemos tolher!

E se toda nos tiram

Façamos moeda.

Quem tudo faz pode tudo fazer!

15Mai17

Pedro

 

 

 

 

Partilhar

Adicionar comentário


Código de segurança
Actualizar

Está em... Home Cultura Alevantes do milho